Visualizações

domingo, 10 de outubro de 2010

Arca de Regensdorf ou arca dos segredos, mostra sonhos do Quelhas…

12. Convívio Cultural na Arca de Regensdorf na Suíça por Quelhas… 2010-10-10 Não se adivinha não senhor! De facto a casa estava cheia, não importa se de fãs ou curiosos… A abertura e apresentação de todos os intervenientes principais na Arca, foram feitas pelo escritor Quelhas. O autor deu ordem de actuação, começaram os amigos das Concertinas de Zürich. No final, o seu amigo António Peixoto, natural de Taíde, era um homem feliz, (Começamos este grupo por brincadeira, e seguido temos acompanhado o Quelhas nos eventos culturais que, nos está a abrir portas para o futuro que se adivinha.) Falaram ainda no tempo de escola, 1. e 2. Ano de escola preparatória TV em Sobradelo da Goma. (Nunca pensei que mais tarde 30 e tal anos nos voltássemos a encontrar, Quelhas como escritor e eu como músico e cantante.) Salientou que a cultura portuguesa precisa de pessoas como o autor povoense. O grupo dos Amigos das Concertinas de ZH animou a festa e o povo dançou… A Associação de Pais, no restaurante da Arca de Regensdorf no dia 10 de Outubro 2010, esteve ao rubro. O presidente da associação abriu a sessão do 12. Segundo Convívio Cultural do escritor Quelhas. O Sr. David como responsável daquela associação de Pais, ainda leu a “Homenagem ao autor Quelhas”, de (Domingos Ferreira,) escritor e artista em robótica, aquele que lançou o autor em epígrafe para a escrita. No final entreviu (não estava à espera de uma festa tão boa e calorosa, digna e bem representada por várias pessoas e personagens que vieram cá a primeira vez, graças ao Sr. Quelhas) Agradeceu a todos e ofereceu em nome da Associação da Arca um lanche a todos os presentes… O "Conselheiro das Comunidades Portuguesas na Suíça" (Sr. Manuel Beja) fez um discurso único para além das expectativas que o autor povoense imaginava. Falava alto a cultura. Falou da Maria da Fonte, da Padeira Aljubarrota, do Quelhas, do Convívio Cultural, da massa humana ali presente. O Manuel Beja diz: (É muito importante aquilo que o Quelhas aqui diz), logicamente, sobre a Maria da Fonte! O Conselheiro apelou que a Maria da Fonte, seja escrita pelo Quelhas ou pelo Camilo Castelo Branco, para lerem. (Leiam, leiam pela nossa língua e pela nossa cultura). Agradeceu ao autor do livro da “Terra das Marias da Fonte ou fontanário, história com histórias… Jorge Campos, povoense de Frades, era outra figura que ajudou em todos os aspectos a festa, discursou e, lançou desafios para que a sua gente dê valor aos escritores e escultores, artistas plásticos como ele… Prefere: (Ao escritor das nossas Comunidades, Quelhas, ele é uma pessoa como qualquer outra, só que com uma diferença, é que ele quis fazer algo, ao contrário de outras gentes que, tem tanta coisa para dizer e nunca abrem a boca e, ele deu o seu primeiro passo por si mesmo, por isso agradeço-lhe.) O autodidacta, Jorge Campos, pediu mais público português nas suas exposições e alegrava-se, se avistasse sempre algumas daquelas caras ali presentes… Quelhas tem relançado o artista plástico e escultor, Jorge Campos, a estar mais junto das Comunidades portuguesas na Suíça… Outra povoense, Fátima da Silva, de Taíde, era outra figura à altura daquele evento, mostrou o seu hobby, disse: (Descobri meu talento e para me ajudar ao foro psíquico e à minha mente do acidente que teve, estou de corpo e alma a dar o meu melhor para juntar tudo, o útil ao agradável. E o Quelhas tem me ajudado, estou sempre com ele, ele merece calor humano assim como eu…) A Frau da Silva, aconselha, que, as pessoas quando não querem adquirir um livro, não devem dar fracas respostas, para aceitarem aquilo que de bom o nosso povo tem para nos dar. Acrescenta: (O Quelhas é nosso escritor, seja bom ou menos bom, devemos apoia-lo sempre!) A Fátima agora com estas presenças assíduas com o autor Quelhas, nos Convívios Culturais, abriu novos horizontes para o seu espírito…. Houve sempre aplausos, de início ao fim, tanto para o autor Quelhas, assim como para os convidados ilustres, embora com pequenas interferências pelo meio, que, o Quelhas soube pedir a todos os presentes na Arca e manteve a ordem… O Povo ficou maravilhado com os discursos do autor povoense, bem como a sua postura, diálogo com os convidados e público em geral… Finalmente Quelhas reuniu com a direcção da Associação de Pais e, muito breve, juntos, vão por a peça de teatro, "1001 Desenhos Animados", de autoria de Quelhas em prática com todas as crianças, adultos e encenador daquela associação da Arca! As reportagens foram feitas em todos os 4 eventos, no Portugal Royal, SP Braga Zürich, Porto D’Ave e por último na Arca, sob o livro das Marias da Fonte, pelo poeta, escritor, jornalista, crítico, entrevistador e repórter da TV Minho. Mais uma vez, Quelhas, justifica o que disse! Conseguiu reunir pessoas de outras nacionalidades. O certo é que fala à boca cheia que, os seus livros chegam aos 5 cantos do Mundo a falar Português, desde a Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, Brasil. Também Goa, Macau e Timor-Leste, para além de outras comunidades que falam Português. Quelhas no bom caminho, ganha a cultura portuguesa, ganham aqueles que o acompanham e, ganham aqueles que o apoiam de uma forma ou de outra. Obrigados autor: Quelhas

Sem comentários:

Aqui notícias relacionadas com os livros do autor Quelhas...

(Mensagens antigas)

POR FAVOR, PARA VER TODOS OS TEXTOS, CLIC NO FIM DE CADA PÁG. (Mensagens antigas)