Visualizações

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Biografia: Quelhas é um escritor Português...


Biografia


Quelhas é um escritor português, a residir em Zürich, Schweiz desde 2008; natural do lugar de Varzielas, na freguesia de Sobradelo da Goma, no concelho da Póvoa de Lanhoso, distrito de Braga, no Minho, norte de Portugal.

O autor, assim como se auto-intitula, nasceu na casa do Quelhas, a dezanove de Outubro, do ano de mil novecentos e sessenta e seis; de nome João Carlos Veloso Gonçalves; o seu pseudónimo literário e artístico foi adquirido por parte da alcunha do Avô Paterno, Joaquim Gonçalves “sargento Quelhas”, natural do lugar de Calvelos, freguesia de Guilhofrei, concelho de Vieira do Minho; a Avó Elisa Rodrigues era descendente da família do Rego, do lugar de Cabanelas que veio, posteriormente, viver no lugar do Outeiro, na freguesia de Sobradelo da Goma e da família do Cantinho, da Vila da Póvoa de Lanhoso.

Foi o primeiro filho de Manuel Rodrigues Gonçalves e Ermelinda Ribeiro Veloso, entre mais quatro irmãos; na totalidade três rapazes e duas raparigas, a Mãe era descendente da família dos Serralheiros e Cavalos da freguesia de Garfe, no concelho da Póvoa de Lanhoso, filha de Erminda Ribeiro e de Joaquim Veloso do lugar de Funde-Vila naquela freguesia de Garfe, sendo a sua Bisavó da freguesia de Sobradelo da Goma, da família do Sol, lugar de Várzeas e com parentescos nas famílias dos Capelas, no lugar de Carreira e Mouta no lugar de Vilarinho de Cima, freguesia de Sobradelo da Goma.

Concluiu o 6º ano de escolaridade, pela antiga telescola, na freguesia de Sobradelo da Goma e, mais tarde, adquiriu novas competências gerais, adquirindo assim uma equivalência certificada ao 9º ano de escolaridade, juntando a tudo isso a escola da vida! Ainda se inscreveu para fazer o 12º ano, mas optou por sair do país, impossibilitando-o de concluir. No ano de 2011/2, “o Quelhas”, como gosta de ser tratado, volta para a escola, mas desta vez fora do seu país Natal, pois está a concluir um Deutsch-Intensivkurs, para ter uma melhor integração na cultura local Suíça, principalmente do Kanton onde habita.

O Quelhas, na sua primeira obra literária “Inspiração do Compositor” foi baptizado pelos amigos, por ser um grande poeta-inspirador.

Digo isto com clareza, não pelo facto de conhecer o Quelhas há muitos anos, mas sim porque o constato (estive directamente no incentivo à primeira obra literária que estava guardada em gaveta; ele diz mesmo que eu sou o PAI dos seus primeiros dois livros!), pois acredito que ele sente que não quer ser só um poeta, tal como sempre afirmou! Quem o acompanha, sabe que ele prefere ser um crítico de tudo o que está mal à sua volta, segundo uma forma peculiar de ver o mundo…

De igual modo, posso dizer que o Quelhas é mesmo um escritor multifacetado; vejamos este pequeno exemplo; quando apresentou “O livro da criança”, para as crianças e professores da sua área linguística, nas escolas onde o apresentou, em vez de uma abordagem de poeta, ele apresentou-o como um contista!

Na verdade o autor não parou por aqui; e como quem não se sente, não é filho de boa gente, ele escreve história de Portugal, baseado na Heroína do Minho; “Terra das “Marias” da Fonte ou fontanário, história com histórias”, pelo que passa também a ser um mini-historiador, baseado na pesquisa dos registos locais.

A ambição e o desejo de vencer, coisa que sempre teve, segundo ele, move-o a mostrar triunfos; por isso concluiu mais dois livros, que quanto a mim com títulos bem sugestivos à problemática de uma realidade sempre presente, “Prostitutas, Amor ou Contacto Físico”, o que o releva como um investigador!

E por fim vem aquele livro que vem dar-lhe razão à razão, ou seja, o elo de ligação do primeiro livro ao baptismo, (mais um) que os amigos lhe outorgaram, antes de a obra nascer; “Ideia de se Poeta – Inspirador de Sonhos” ou seja, voltando atrás, poeta-inspirador…

É realidade ao comum dos mortais, que os autores têm muitos trabalhos na forja; e o Quelhas não se mostra diferente. Sendo assim, não fica por aqui, pois confessou-me ter muitas mais obras para editar, só que ainda, como diz, a expressão está no segredo dos Deuses.

Devido à projecção do autor, “O livro da criança” foi cobiçado por uma editora e já chegaram a um acordo, para ser vendido em vários países e traduzido em 10 línguas na E-book, assim como o livro de história; depois de ver os resultados, seguir-se-ão os outros…

É caso para dizer vivamente que este escritor, nato povoense, não faz somente obras de livro, pois também tem outros hobby,s; ele é um jornalista “freelancer”; como repórter de TV, já escreveu muitos artigos em vários jornais de Portugal, França e, na actualidade, Suíça; ora, se ele é um colaborador de jornais, também é um jornalista!

Mesmo assim, ainda há quem não acredite quando se fala no Quelhas (por ignorância talvez!), quando se diz que este já é um personagem multicultural; a provar estão os seus 25 eventos culturais, em conjunto com outros artistas diversos, por onde passa, entre Actividades Escolares, Tournées e Convívios Culturais, em Portugal, Luxemburgo e Suíça, onde estive presente na mesa de honra, em todos os convívios, em Portugal.

Quanto a mim, o Quelhas consegue ser um escritor popular; o facto de mostrar que não desiste, ficou bem assente nos lançamentos dos seus anteriores livros, em que queria unir os povoenses, para fazer uma Associação. Mesmo na Suíça continua com tudo às voltas, porque ainda espera reunir uma Organização Cultural. Como diz que o sonho está prestes a realizar-se, pois a Comunicação Social já mexe nesse assunto, já teve encontros com o corpo diplomático português e com o Conselheiro das Comunidades Portuguesas na Suíça, bem como reuniões com artistas. Tal como espera que, em breve, consiga formar uma comunidade de emigrantes Portugueses na Suíça.

Para terminar; Quelhas participou em obras de outros autores e têm trocado colaborações mútuas, nomeadamente Euclides Cavaco (a residir no Canadá), no Poema “Homenagem: Euclides Cavaco poeta de sonhos” e efectivamente escolhido por Efigénia Coutinho (a residir no Brasil), como um dos melhores poetas tradicionais na Academia Virtual, Sala dos Poetas e Escritores, onde foi honrado com o poema “tango ou tanga”; ora, ele também é um escritor internacional!

O autor povoense também já escreveu várias biografias a outros autores e artistas portugueses, de norte a sul do país e na emigração; por isso, ele também é um biógrafo! Ou seja, o Quelhas é um pequeno escritor, para uns, mas grande, para outros Poliglotas.

(ver página 98)

Domingos Manuel Sousa Ferreira
Poeta Escritor Pintor Digital.
Março 2012


Sem comentários:

Aqui notícias relacionadas com os livros do autor Quelhas...

(Mensagens antigas)

POR FAVOR, PARA VER TODOS OS TEXTOS, CLIC NO FIM DE CADA PÁG. (Mensagens antigas)