Visualizações

quarta-feira, 5 de março de 2014

Entrevista: Ângela Rodrigues Fernandes, nasceu em 1992 em Genéve na Suíça, é descendente de portugueses naturais de Barcelos.



Entrevista:




Ângela Rodrigues Fernandes, nasceu em 1992 em Genéve na Suíça, é descendente de portugueses naturais de Barcelos. As competências literárias são equivalentes ao nono ano e mais uma aprendizagem de três anos posterior ao nono ano na Poste Finanz. A Ângela trabalha em Zürich, porque a enviaram, foi obrigatório… Em Genéve fala-se o francês e em Zürich fala-se o alemão, daí as dificuldades acrescidas no alemão, (embora tenha sete anos de alemão) sobretudo porque em Zürich fala-se o schweizerdeutsch, ou seja o dialecto (suíço) em vez do hochdeutsch (alemão)


Quelhas - Ângela, você trabalha num local que se fala alemão e um dia quando acabar o seu curso e regressar à sua origem, acha que vai ter dificuldade de novo na sua profissão e na língua, nas formas diferentes de lidar, trabalhar e compreender a base de dados?


Ângela – Sim, vou ter, porque depois as palavras não conjugam, o francês é língua latina, embora deva superar tudo, pois domino bem a língua francesa.


- Que acha do Cantão de Zürich em relação ao Cantão de Genéve, na língua e nas pessoas?


- Os Cantões são idênticos, no que respeita à imigração são muito exigentes, no entanto acho que a maior diferença é que Zürich é mais acolhedor.


- Acha que os povos suíços são racistas?


- Racismo; há de tudo! Os mais velhos refilam e dizem mesmo: se não estão contentes ide para vosso país.


- Quanto aos portugueses acha que são racistas?


- As pessoas que vieram há trinta anos atrás não são racistas, eles habituaram-se. Os mais novos deixam muito a desejar, muitos vêm armados em finos.


- Acha que os portugueses são unidos e não são invejosos?


- A maioria dos portugueses são muito invejosos, vejo isso a começar nas famílias, imagino o resto da comunidade… Também acho que os portugueses procuram ser unidos por interesse e quando lhes convém.


- Que acha do referendo que quer quebrar o Acordo de Schengen com a europa e o não à imigração?


- Acho bem que cortem o Acordo de Schengen, porque vem para cá tanta gente, mal chegam pedem ajuda e a Suíça dá, para muitos a facilidade de viver sem trabalhar e ganhar sem fazer nada, ajuda a que muitos se portem mal, habituados a usos e costumes nos seu países de origem e também vem contribuir para a pobreza na Suíça e tirar emprego a quem cá está com a mão-de-obra mais barata e mesmo direi a trabalhar a negro.


- Que mudava na Lei suíça?


- Na Lei suíça não mudava nada! A Lei está bem-feita (não perfeita) em relação a Portugal. (talvez mudava a Lei dos presos, muitos apanham vinte anos de prisão e cinco anos depois estão em liberdade) 


- De que gosta mais na terra da Heidi?


- Nasci cá, trabalho cá, gosto de cá, está tudo dito! (as minhas férias vão ao encontro de Barcelos)


- Sabe quais são as principais indústrias na Suíça?


- Os famosos chocolates, o bom queijo, a indústria relojoeira e farmacêutica e talvez os grandes centros de cadeia alimentícia…


- Qual é o preferido desporto dos helvéticos?


- Hoje a suíça em relação ao passado já pratica todos os desportos, até o futebol que há anos apenas tinham equipes que nunca iam a competições europeias e nem participavam em provas de selecção. (não tivesse a Suíça instalado no Cantão de Zürich a FIFA) O desporto que reina mais e depende dos Cantões, será o hóquei em gelo, esqui, xadrez, rugby e ténis…


- Já visitou outros Cantões e qual gostou mais em relação a Zürich e Genéve?


- Visitei por exemplo Basel, Luzerna, Berne e Lausanne e todos têm semelhanças, a diferença é que em Zürich e Genéve, aqui eu vivo, nasci, cresci e trabalho, gostei de todos, das suas belas paisagens e das suas casas rusticas e tudo que envolve… porque afinal de contas foram apenas viagens!


- Já visitou os Alpes Suíços?


- Alpes? Não sou de montanhas! Hehehe, gosto mais da cidade que propriamente das serras e a aldeia, pelo ambiente e pelo movimento, temos tudo a nossos pés mesmo ali junto de casa.


- Ângela, você pensa acabar a sua vida um dia em Portugal?


- Talvez irei de vez para Portugal depois dos 50 anos para tentar gozar a vida depois de longos anos de trabalho na Suíça.


- Fale-nos da crise em Portugal?


- Crise! Não vejo crise nenhuma, ora veja; em férias só vejo bons automóveis e os restaurantes cheios de gente e telefones de alta geração. LOL, Não tenho muito tempo para verificar em tempo de férias o que se passa depois nos meses a seguir, apenas vejo e oiço as notícias na TV na Suíça, por isso não sei bem a real situação…


- Ângela, para terminar deixe-nos uma mensagem generalizada a todos os portugueses?


- Quero aproveitar de enaltecer o jornal Repórter X, por ser um jornal desta dimensão, que faz notícia na primeira pessoa e dá a dão da palavra com isenção a todos quantos queiram expor algo transparente. Quero também dizer a todos os portugueses imigrantes na Suíça, que aproveitem o melhor que a Suíça nos dá e quantos os portugueses em geral, desejo sorte na vida a todos, mas façam por isso, nada caí do Céu.


Ângela Rodrigues Fernandes no Repórter X
http://www.jornalculturaexpressaoportuguesa.com/

Sem comentários:

Aqui notícias relacionadas com os livros do autor Quelhas...

(Mensagens antigas)

POR FAVOR, PARA VER TODOS OS TEXTOS, CLIC NO FIM DE CADA PÁG. (Mensagens antigas)