Visualizações

segunda-feira, 9 de maio de 2011

XII Festival de folclore in Wetzikon na Suíça

“Estávamos na Suíça, onde à partida tudo parecia que se ia falar noutra língua, mas afinal falamos cem por cento em português!” O anfitrião da festa: Rancho folclórico da Associação Cultural e Recreativa de Wetzikon Convidados: Rancho folclórico de Sierre – Valais – Kanton Francês. Rancho folclórico de Beausoleid – França. Rancho folclórico São Miguel do Monte – Fafe – Portugal. Grupo Musical Eclips. Cobertura: Latinos Eventos. Estiveram presentes o Sr. Doutor Paulo Rufino, Cônso do Cônsul de Zürich e o SR. Florêncio Carneiro, Presidente da Federação Portuguesa de Folclore e Etnografia na Suíça. Quelhas fez cobertura para os canais on-line com transmissão para: TV Minho. TV folclore de Portugal. Rádio Space Love. As gravações contem entrevistas a todos os grupos de folclore, “não faltaram fotógrafos e filmagens por várias pessoas naquele evento cultural” temos ainda cantares e danças etnográficas e público em geral e ainda algumas conversas pelo meio com o público.
“Quelhas, escritor das comunidades portuguesas na Suíça discursou em público aos presentes incentivando a divulgação cultural portuguesa. O escritor falou ainda dos jornais Gazeta Lusófona e Fri-luso e pediu para lerem, assinarem e divulgarem a nossa Comunicação Social. O poeta, assim como é conhecido nos jornais em Portugal e Suíça, disse em breves instantes algo sobre ele e os seus livros, pela promoção do autor povoense. Todos os elementos responsáveis pelos ranchos, agradeceram a presença do autor/repórter e com certeza que vão transmitiram a vida artística e cultural do autor da província que divulga todos, desde a literatura, às artes e à música de todo o tipo, através dos blogues, jornais e canais on-line.” Acrescentou o responsável do Rancho de São Miguel do Monte sobre a presença e a divulgação que estava o repórter ali a fazer sem renumeração pela cultura portuguesa.
Já em palco o grupo Eclips diz: “nós estivemos numa das tornes culturais do Quelhas, assim como outros grupos populares musicais e ranchos de folclore, o Cônsul, o Conselheiro das Comunidades, rádio e TV on-line, assim como jornalistas e diversas outras artes culturais, desde livros, esculturas, artes plásticas.” O Sr. Paulo e presidente do rancho de Wetzikon, autorizou a presença em Palco para reportar, todos aplaudiram e falaram do autor, onde estava casa cheia! Toda a gente foi bem servida no jantar convívio de teor folclorista, que teve boa orientação de trabalho em conjunto, “uma grande família” onde a maioria das pessoas eram do rancho de Wetzikon. A festa esteve ao rubro, encheu-se de cor, som, danças e cantares do Minho, sobretudo alegria, onde se encontraram amigos que não se viam há muito tempo, “anos” vindos dos quatro recantos de cada grupo e a acompanharem os grupos. Foi um clima de festa, a cor dos trajes, o som das concertinas, castanholas e das palmas, as danças em duo e em espírito de grupo, as batidas de sapateado e, as vozes masculinas e femininas num contraste musical camponês.
No final aquela gente toda, incluindo os membros do rancho e já sem traje, dançara ao som do grupo convidado para terminarem o espectáculo em beleza e, o grupo do Rancho folclórico da Associação Cultural e recreativa de Wetzicon bem mereceu… Para terminar quero reflectir no seguinte: A maior parte dos encontros e convívios entre ranchos de folclore existe intercâmbio cultural, (uma ida e uma volta) vão aos festivais de folclore onde são convidados e depois retribuem da mesma forma. (“o folclore é uma família” Paulo presidente) Os grupos vão a festas particulares e privadas e também a associações, mas o preço de custo é sempre simbólico! Fiquei a saber que a maioria dos trajes de folclore é feita no baixo Minho, cidade de Guimarães e, chega ou são adquiridos para todas as partes do mundo onde existe cultura enraizada de folclore. Ainda fiquei surpreso, os grupos de folclore português no estrangeiro também usam o símbolo do Minho, “ a imitação da filigrana com o coração do Minho – O coração do Minho é d’ouro” usado e trabalhado nas ourivesarias na Póvoa de Lanhoso (Travassos e Sobradelo da Goma) e Viana do Castelo. Bem hajam pela cultura portuguesa no Mundo, a quinta mais falada no universo…

Sem comentários:

Aqui notícias relacionadas com os livros do autor Quelhas...

(Mensagens antigas)

POR FAVOR, PARA VER TODOS OS TEXTOS, CLIC NO FIM DE CADA PÁG. (Mensagens antigas)